Home Arquitetura & Paisagismo Paisagismo Estocolmo – por Eliana Azevedo – Paisagismo
Paisagismo - 4 semanas ago

Estocolmo – por Eliana Azevedo – Paisagismo

A cidade mais inteligente do Mundo

Continuando a série de artigos com “Bons Exemplos” que deveriam ser seguidos por todos, principalmente pelo Brasil, hoje vou falar da Suécia. Sim, aquele país gelado que fica lá no fim do mundo, que passa mais da metade do ano sem sol – no escuro – e com muita neve, cujas temperaturas dificilmente passam de 10º C e facilmente chegam a -30º C.
Para não me alongar demais vou enfatizar sua capital Estocolmo.
O interesse pela saúde do planeta já faz parte da sua história. Logo após os primeiros grandes desastres ambientais (Grande nevoeiro de Londres em 1952 e Poluição de Minemata, Japão 1956) o mundo começou a despertar para as consequências nocivas da evolução da humanidade ao meio ambiente.
Percebemos que precisaríamos mudar a forma de evoluir para não comprometer a saúde do planeta e por consequência a nossa existência. Então, em 1972 aconteceu a primeira
Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente Humano realizada em Estocolmo, Suécia. De lá para cá várias conferências sobre o Meio Ambiente aconteceram, duas inclusive no Brasil. Obtivemos muitos avanços, mas Estocolmo foi e é particularmente, firme no propósito de cuidar do Meio Ambiente e garantir qualidade de vida para seus cidadãos. O resultado se vê e se sente. Pelas inovações apresentadas no meio ambiente, tecnologia digital e qualidade de vida de seus habitantes, Estocolmo foi eleita a cidade mais Inteligente do mundo.
Mas o que de fato ela fez?
Estocolmo é a capital europeia que mais cresce, e ainda assim se compromete a ter um balanço de carbono positivo até 2040, isto é, descartar gás carbono na atmosfera (queima de combustível fóssil por exemplo) em menor quantidade do que irá resgatar.
Transformou uma grande área degradada (poluída por indústrias) no primeiro bairro totalmente sustentável:
Hammarby Sjöstad.

Este bairro representa perfeitamente o projeto europeu GrowSmarter – os apartamentos possuem grandes janelas com vidro triplo para dependerem menos de calefação.

O aquecimento se dá por energia limpa. Ruas e áreas públicas redesenhadas priorizando transporte público, bicicletas e pedestres.


O sistema de captação de lixo é extraordinário! As pessoas depositam seus sacos de lixo em pequenos conteiners, que por sucção são levados através de dutos até um terminal específico para cada tipo de resíduo, onde será dada a destinação final adequada e sustentável – transformar em adubo; promover a queima e transformar em energia; ou reciclar.

Hoje esse é um dos bairros mais valorizados de Estocolmo.

E como eles pretendem emitir menos carbono do que captar?

Evitando desperdício de energia. Criaram um sistema que aproveita o calor produzido em grandes empresas para aquecer as residências. Exemplo: o calor produzido pelos centros de processamento de dados. A empresa de armazenamento de dados se conecta ao sistema de aquecimento urbano. Tudo graças a um sistema de bombas, financiado pelo projeto. A rede de aquecimento urbano garante que, em 2019, conseguiu aquecer 30 mil apartamentos, graças ao calor recuperado do centro de processamento de dados, mas também de supermercados e até de crematórios. A empresa pretende expandir sistemas deste gênero e aumentar ainda mais a sua rede.

É assim que é em Estocolmo! Fruto de decisões corajosas, inteligentes e de muita persistência.

Pois então…

Em breve teremos eleições municipais aqui no Brasil. Vamos agir de forma inteligente também!

Vamos escolher quem prioriza o Meio Ambiente!
Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Helena Lagoa, Saul Lope, Cássia Diaz