Home Técnicas de Vendas & Pesquisa de Mercado Técnicas de Vendas O Mindset da gestão é ágil – por Alfredo Duarte
Técnicas de Vendas - 16/12/2019

O Mindset da gestão é ágil – por Alfredo Duarte

Mindset é um dos termos do momento e como tal ganha uma tradução a cada esquina. Para simplificar, vamos adotar ‘mentalidade’, modo de perceber, assimilar
e entender uma realidade preexistente ou uma
possibilidade em construção.
Na gestão, a bola da vez é a agilidade e isso pode ser muito bom e muito transformador. Agilidade nasceu no ambiente de engenharia e desenvolvimento de software. Em fevereiro de 2001, 17 pioneiros formalizaram o
manifesto ágil. No final daquele ano nasceu a Agile
Alliance, uma organização sem fins lucrativos que
promove os métodos ágeis no mundo todo.
Se você ainda não conhece, há muito material para
pesquisa e informação na web. O Google e o Youtube, além das outras fontes relevantes do ambiente digital, têm montes de coisas legais sobre agilidade, seja na área de software, seja em outros segmentos empresariais. Vale pena investir um pouco do seu tempo, descobrir e testar coisas do pensamento ágil.
O ágil surgiu como opção ao tradicional modelo de
comando e controle, ao planejamento rígido, aos projetos e desenvolvimentos de ciclo longo, que muitas vezes se mostravam superados antes mesmo de sua conclusão.
Comando e controle podem ser premissas comprovadas ao longo do desenvolvimento da gestão, mas o modelo também produz custos e ineficiências desnecessárias, reduz a criatividade, limita a contribuição, engessa a
liderança e mantém a influência nos círculos menores
do poder de posição.
O escopo ágil original foi entrega contínua de software funcionando, fazer somente o necessário e de maior valor e melhorar continuamente o processo. Essa é
uma das somas perfeitas: eficiência, eficácia efetividade.
Desde aquele início, até agora em que alcança
praticamente todas as demais áreas e segmentos de
negócios, agilidade assume vários compromissos
importantes. Entre muitos, estão o foco, a integração,
a simplicidade, a inovação, as equipes colaborativas,
a entrega de soluções.
Uma abordagem relevante divulgada por Dave Thomas, um dos autores do manifesto original, é que “ágil não é ‘
o que’ você faz, agilidade é ‘como’ você faz”.
Isso é muito importante para os aspectos tangíveis de qualquer operação que demande esforço conjunto e
continuado. Também é vital para as atitudes e
comportamentos que as pessoas adotem quando
precisam interagir e influenciar.
De fato, todo mundo tem essa experiência: pessoas
podem desculpar e esquecer problemas que enfrentaram, mas é praticamente impossível que o mesmo ocorra em relação à forma como foram tratadas. A gente releva ‘
o que’, mas leva o ‘como’ na última viagem.
A Harvard Business Review vem publicando ultimamente vários textos relevantes sobre agilidade, incluindo
trabalhos de outros subscritores do manifesto original como Jeff Sutherland. Na versão HBR Brasil tem
“Desenvolvimento agile em escala”, “O RH torna-se
ágil” e “Incorporando a agilidade”.
No texto incorporando a agilidade há um quadro que
resume as condições favoráveis e desfavoráveis para essas novas práticas. Se a possibilidade ágil está
seduzindo você, vale muito levar em conta essa
comparação de prós e contras.
Aqui vão algumas perguntas para referenciar sua
proximidade com aspectos da agilidade:
O trabalho é predominantemente executado por
equipes multidisciplinares e que atuam como times?
Há foco em inovação e a busca de soluções é algo
natural para as pessoas envolvidas nos desafios
empresariais?
A simplicidade é um pré-requisito respeitado e
praticado por todos?
O ‘cliente’ final tem alguém, dentro da empresa, que zela por seus interesses e necessidades?
As tarefas a executar são previamente classificadas, listadas, organizadas e aprazadas, garantindo
prioridade e foco?
Existe um coordenador dessas atividades?
O feedback é uma prática regular e natural para todo mundo?
As reuniões de alinhamento são rápidas e regulares e as reuniões retrospectivas validam e ampliam as realizações e os aprendizados?
Se o “sim” é a resposta natural em algumas dessas questões, ou se chegar a ele depende de certos
ajustes que você entende serem importantes para
renovar as práticas de gestão e os resultados, a
agilidade pode ser o caminho natural para grandes realizações.
Seja ágil. Assuma o Mindset.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Mais 5 habilidades para 2020 e além… – por Alfredo Duarte

Na edição anterior vimos cinco das dez habilidades que o Fórum Econômico Mundial (WEF) apo…