Home Técnicas de Vendas & Pesquisa de Mercado 7 Toques para Alta Performance – por Alfredo Duarte

7 Toques para Alta Performance – por Alfredo Duarte

O universo empresarial é particularmente receptivo a cultivar, validar e compartilhar alegorias, metáforas e
associações de toda sorte, de toda ordem. Isso é show!

Ora somos um time, uma família, uma orquestra, ora somos guerreiros e caçadores.

O mercado às vezes é tido como uma selva e as equipes comerciais são reptadas a matar um leão por dia. Na guerra com a concorrência, vence quem tem o melhor arsenal, os soldados mais corajosos.

Essas figuras de linguagem eventualmente podem
parecer forçadas ou mesmo exageradas, mas valem muito pelas conexões que criam. Elas dão direção e
sentido comum à comunicação, abreviando e facilitando os processos de aprendizado e maturidade de pessoas e empresas.

As equipes, por exemplo, não podem ser meras equipes, precisam ser times de alta performance.

Times de alto desempenho são feitos do mesmo
espírito, da mesma matéria que junta pilotos, mecânicos, engenheiros, dirigentes, parceiros e auxiliares de todos os matizes e os transforma em F1 Teams. Qual é o seu?

O que faz um time atingir alta performance? O que os
colaboradores e líderes de alta performance “tomam”
no café da manhã e “comem” diariamente nas refeições principais?
O que eles fazer para que as coisas deem certo e
como eles reagem quando a fila anda e o erro senta na cabeceira da mesa?

Não são nem únicos, nem exclusivos, mas todo mapa para a alta performance tem esses sete pontos com a marca do “X” do “cave aqui”:

Antes de qualquer outra característica técnica ou
comportamental, eles planejam suas metas. Eles têm
e aperfeiçoam as habilidades, a competência e a
persistência para formular estratégias e implementar ações que fazem os resultados acontecer.

Metas assertivas para tudo que for importante, inclusive para manter e melhorar a performance.

Alto desempenho, para eles, é sinérgico com negociar, definir e consensar objetivos. Eles possuem postura e maturidade para agregar valor nas situações de
dependência e influência. Quando vão, vão juntos, com propósito alinhado. Não há espaço para lobos solitários nessas matilhas.

Suas ações são orientadas para resultados. Alta
performance floresce na assertividade.
Eles jogam para vencer e não se desviam das metas e dos objetivos.
Têm hábito de pensar grande, de focalizar mais e além, quando isso é pessoal, empresarial e socialmente
relevante.
Usam informação com eficácia e precisão. Sabem como e onde obter, correlacionar e compartilhar informações que tenham (ou venham a ter) relevância e propósito para as finalidades e situações consideradas.

Nos times de alto desempenho o comprometimento é
um estado natural. Existe a percepção de papel e de
responsabilidade sustentados por forte senso pessoal de prontidão, isto é estar pronto e disposto a fazer o que
precisa ser feito.

O processo decisório desses times lida bem com afobação e omissão. Eles fazem um jogo bem equilibrado entre
riscos e oportunidades, na linha do ditado “um olho no peixe, outro no gato”. A síntese é “fazer a coisa certa, no momento certo”.

Não se omitem nas situações de conflito. Atuam com
competência e maturidade nas situações ambíguas.
Eles entendem que às vezes os conflitos limitam, inibem e bloqueiam, mas em outras alavancam, ampliam e favorecem o desenvolvimento organizacional, a excelência e a criatividade.

E então, as alegorias, metáforas e associações acima
conseguiram tocar você? Sim ou não, o som agora é seu, desejo uma regência vibrante e criativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

O Cliente Surpreendido – por Edna Ortolan

Por estes momentos inesquecíveis o cliente não esperava!? Ele gostou tanto, que seencantou…