Home Comunicação & Marketing Comunicação Meritocracia e Melhoria Contínua, pratique isso sem receio! por João Burin
Comunicação - 4 semanas ago

Meritocracia e Melhoria Contínua, pratique isso sem receio! por João Burin

Estimular o esforço, o empenho, estabelecer metas e responsáveis pela sua obtenção, reconhecer e premiar os resultados, reagir contra os erros, não tolerar erros
recorrentes, os que se repetem, não aceitar a procrastinação e menos ainda a impunidade. Isso tudo soa muito bem, não é? Exprime um padrão de comportamento que parece ser o firme propósito de todos nós, correto? Esses princípios fazem parte, dentre outros, da meritocracia.

E na busca pelos resultados, uma ferramenta de valor inestimável é a melhoria contínua, aquela conseguida através da perseverança, da obstinação, do passo a passo, gradual e contínuo, onde se não for possível
avançar é proibido regredir.

A meritocracia e a melhoria contínua são excelentes
ferramentas das boas práticas de administração, de
extrema utilidade para o sucesso nos programas de
gestão, conferindo-lhes um caráter justo, legítimo, ético, não distinguindo chefes de subordinados, mais novos de mais velhos, não importa sexo, cor, raça, religião, etc.,
as regras valem para todos, sem distinção, todos são
tratados (avaliados) da mesma forma.

Por que então tanta dificuldade, para não dizer
resistência, para colocar esses princípios em prática? Por que tanta dificuldade para atacar os erros,
principalmente, aqueles recorrentes e combater a
impunidade? E por que desistimos tão facilmente diante dos primeiros obstáculos? Por que não perseveramos?

Não vai faltar a tese, muito válida, de “não buscarmos
os culpados, mas sim resolver os problemas, encontrar as soluções”. Sim, evidente, desde que esse nobre
pensamento não sirva para encobrir (omitir) as verdadeiras causas dos problemas. No seu exame, indo a fundo na análise de causa e efeito, é impressionante a frequência com que nos deparamos com erros recorrentes, os que continuam se repetindo…. em muitas vezes pelas mesmas
pessoas. E nada acontece, a impunidade reina solta!

Vamos fixar metas, definir responsáveis e persegui-las com critérios justos e firmes. Iniciemos esse programa conosco mesmo: vamos nos impor uma disciplina, sejamos rigorosos conosco mesmo, liderando esse processo pelo exemplo. Não tenhamos medo disso, vamos reagir contra todos os que nos desestimularem chamando-nos de
extremistas e daí afora. Não faltarão os politicamente corretos que idolatram a eterna ponderação sem ação, sem providências, é exatamente isso que eles querem, que tudo fique na mesma.

Em qualquer plano, seja no pessoal, familiar, comunitário, profissional, no exercício da cidadania pensado nas
nossas obrigações antes dos nossos direitos e interesses como cidadão, pratiquemos a meritocracia e a melhoria contínua. Essas atitudes, no seu conjunto, trarão um
resultado melhor para todos.

Na sua empresa, pense no seguinte:

1-Dê condições a todos os seus funcionários para o bom desempenho das suas funções;
2-Toda Atividade tem que ter um “Responsável”, todo Processo tem que ter um “Dono”. E ambos têm que ter uma Meta;
3-Metas cumpridas (resultados) serão reconhecidas e premiadas.
4-Metas não cumpridas levarão a uma análise das
causas que motivaram o seu não cumprimento, seguidas de ações (ajustes) adequadas. Se não cumpridas de forma reiterada, levarão à substituição dos profissionais responsáveis;
5-Quem entrega (produz) resultados está dentro, quem não entrega resultados (não produz) está fora;
6-Não se tolera a incompetência e não se admite a
impunidade;
7-Atenção com a incompetência oculta (“escondida”) na empresa;
8-A Liderança se dá pelo exemplo. A começar pelo seu, como Gestor;
9-Defina um programa permanente de melhoria
contínua, com data para começar, mas sem data para terminar. Como dito, permanente;
10-Se não conseguir progredir, analise as causas e
redefina as estratégias, continue, insista, persevere. Só é proibido regredir.

Pratique isso sem receito. Os resultados positivos,
certamente, virão e para todos.

João B Burin
Sócio Diretor da BCA Burin Consultores Associados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Normalização

Para falar sobre a importância da normalização é preciso, inicialmente, contextualizar o s…